Arquivos de janeiro, 2013

Reuters – 10.01.2013

Com pedido, companhia pretende solucionar seu endividamento junto a bancos, agravado pela crise financeira de 2008

São Paulo – A Imcopa, processadora de soja do Paraná, informou nesta quinta-feira ter entrado com pedido de recuperação judicial como forma de conseguir solucionar seu endividamento junto a bancos, agravado pela crise financeira de 2008.

Em comunicado publicado em jornal, a empresa, que afirma ser líder mundial de produtos não transgênicos, afirmou que o pedido foi feito como forma de conseguir uma “solução final da estabilização de seu endividamento” e para obter uma “harmonização” de seu relacionamento com o sistema financeiro.

A companhia, com duas unidades de processamento de soja no Paraná, uma em Araucária (sede da companhia) e outra em Cambé, afirmou ainda que as atividades industriais, comerciais e operacionais com seus colaboradores, clientes e fornecedores, bem como sua parte fiscal, mantêm-se em total normalidade.

Cada unidade tem capacidade para esmagamento de cerca de 2,4 mil toneladas por dia. A usina em Araucária também tem capacidade para produzir álcool combustível a partir da soja, segundo a empresa.

“A estabilização pretendida é restrita, basicamente, aos bancos credores”, afirmou a empresa, acrescentando que “o negócio da Imcopa é absolutamente viável e tem capacidade de gerar os recursos suficientes para arcar com o seu endividamento bancário, bem como, refazer o seu capital de giro”.

A empresa tem escritórios em Mato Grosso e Santa Catarina, assim como na Holanda e Uruguai, segundo informação de seu site.

Valor Econômico – 26/10/2012
Por Marina Falcão | Valor

A companhia têxtil Teka ajuizou pedido de recuperação judical em Blumenau, Santa Catarina.

Segundo comunicado encaminhado à CVM, a fabricante de artigos de cama, mesa e banho buscará a readequação do passivo à sua capacidade de geração de caixa.

Ao fim do primeiro semestre, a empresa acumulava um passivo a descoberto de R$ 780,9 milhões, contra R$ 870 milhões ao fim de 2011.

A Teka informa no comunicado que, antes do ajuizamento do pedido de recuperação, fez “esforços expressivos na adequação de suas estruturas de custos fixos e variáveis, a fim de adequá-los às suas condições econômico-financeiras”.

Recentemente, a empresa fechou a fábrica de cobertores de Itapira (SP) e a demitiu os 800 funcionários.

No ano passado, a empresa fez uma acordo com o fundo Global Emerging Markets (GEM) para tentar readequar sua estrutura de capital.

Em recente entrevista ao Valor, o então diretor financeiro da Teka, Marcello Stewers, disse que as fontes de crédito para o setor haviam se retraído e que a expectativa para 2012 era de um ano sem crescimento. Stewers assumiu a presidência há um mês.

Após vencer uma ação judicial sobre tributos, a Teka registrou R$ 251,5 milhões em receitas extraordinárias, o que fez a companhia apresentar um lucro de R$ 77 milhões no primeiro semestre, contra prejuízo de R$ 96 milhões um ano antes. Mas antes desse efeito, a receita com vendas da empresa foi totalmente consumida pelos seus custos e despesas.

Do mesmo segmento da Teka, a Buettner conseguiu suspender o processo de falência este ano, por meio de uma liminar. Com isso, voltou ao estágio de recuperação judicial.

Reuters – segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A refinaria Manguinhos divulgou nesta segunda-feira que ingressou com pedido de recuperação judicial, com o objetivo de viabilizar o pagamento de passivo causado pela desapropriação do imóvel onde está localizada, pela política de subsídios à gasolina, e pela alta dos insumos devido ao câmbio.

Segundo a companhia, um “plano consistente” de pagamento será apresentado aos credores nos próximos 60 dias, mostrando como a ela pretende equacionar suas dívidas e conservar suas atividades, onde atua há quase 60 anos.

O início da crise da refinaria se deu em outubro passado, quando o governo do Estado do Rio de Janeiro publicou decreto de desapropriação do imóvel para construir na área um projeto habitacional para a população de baixa renda.

Há poucos dias a empresa anunciou que seu controlador faria um aporte de cerca de 55 milhões de reais na tentativa de equalizar os danos.

(Reportagem de Leila Coimbra)